Agronegócio do futuro dependerá da análise de dados

O agronegócio brasileiro é um mercado em crescimento há mais de dez anos e, devido ao grande potencial que este segmento apresenta, os investimentos na área têm sido cada vez mais notáveis, desde a implementação de sistemas informatizados para o controle da produção até a inclusão de novos moldes de produção sustentáveis. De fato, o crescimento do agronegócio acompanhou as tendências mundiais em termos de inovação e implementação de novas tecnologias para o melhor aproveitamento dos recursos.

Com a inserção dessas novas tecnologias, uma imensa base de dados tem sido montada, mapeando todas as regiões do país e suas formas de produção. Esses dados recolhidos, ao longo dos anos, a respeito da produção no Brasil são extremamente valorosos para quem está de olho no futuro. A análise de dados no campo pode ser utilizada de diversas formas, tanto internamente, quanto de forma compartilhada.

No que se refere à produção interna, os dados recolhidos por meio de plataformas digitais podem reunir informações importantes aos produtores, tais como: indicadores de produção, custos e lucros ao longo do desenvolvimento do negócio, mapeamento histórico e evolução ao longo dos anos, volume de produção e indicadores de qualidade.
As possibilidades de projeção e crescimento a partir do recolhimento e análise desses dados são inúmeras.

Já no que compete ao banco de dados compartilhado, as potencialidades aumentam ainda mais. Os dados agregados de diversos produtores do país permitem analisar o andamento do mercado de forma nacional, além de contribuir para o compartilhamento de ideias e a inserção de novas práticas de produção. Esses dados ajudam a tomar decisões sobre as possibilidades de compra e venda.

O conhecimento em rede beneficia a todos, uma vez que a informação precisa circular para a ajuda mútua. A análise de dados em plataformas externas e de caráter nacional também faz o mapeamento de fatores climáticos, mostrando os problemas que cada região enfrenta, como a disseminação de pragas e infestações. Essas informações contribuem para que o produtor possa planejar o negócio de forma mais assertiva, facilitar a tomada de decisões e ainda trabalhar de forma preventiva, uma vez que possui informações de outras regiões a respeito de problemas que os acometem.

Há, no entanto, desafios a serem vencidos na coleta e análise desses dados. O primeiro deles é a falta de conectividade ainda existente em áreas remotas do país, problema que prejudica o trabalho, pois não é possível ter em mãos todas as informações em tempo real. Além disso, os setores da agricultura e agropecuária ainda não sabem exatamente como fazer a coleta de dados e nem por onde começar a reunir essas informações, soma-se a isso a carência do mercado de profissionais habilitados para fazer a avaliação do que esses dados significam e como podem ser utilizados.

Uma das formas de vencer esses desafios é procurar aplicativos e outros recursos tecnológicos de gestão que permitam reunir em uma única plataforma as informações recolhidas na área de produção. Pode- se ainda recorrer a consultorias de pesquisa e institutos de tecnologia que realizam coleta de dados internos com profissionais capacitados para realizar a análise das informações.

Quem realiza a gestão no campo precisa estar atento ao uso dessas informações e, mesmo que pareça oneroso, inicialmente, começar a implementação de softwares e aplicativos de gestão, as possibilidades futuras que esses recursos oferecem são animadoras.

As informações compartilhadas podem ajudar a mapear cadeia de produtores, planejamento da produção, vendas, marketing, o que for preciso, para a melhor sistematização do negócio. Portanto, saber a melhor forma de usar informações de qualidade, poderá ser o diferencial que destacará o seu produto lá na frente. O faturamento do futuro depende de inovação que é realizada hoje.

Atendimento via WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: